quarta-feira, agosto 11, 2004

O direito à indignação




Hoje irritei me como sempre me irrito contra a intolerância, venha ela de quem vier, das pessoas de quem mais gosto ou de quem não gosto ou ignoro. Por norma e para bem da minha saúde mental hà coisas que me passam ao lado, por demasiado pequenas.

Mas não deixo passar em branco certas atitudes e palavras ditas com gratuitidade e leviandade, por pessoas que não têm sequer consciência da profundidade de sentimentos e paixões que atingem, cegas a não ser para os seus próprios conceitos racionalizados e abstractos.

Porque é que quando se fala de religião se fala em beatice? Uma coisa é igual a outra? Sabemos bem que não. Não generalizemos opiniões, que são apenas isso, opiniões, não as generalizemos pretendendo transformá-las no supra-sumo da verdade, convictos de que as coisas são como as pensamos! Tudo é relativo.

A minha verdade é uma. Mas acho que sei conviver com as verdades dos outros, desde que não me digam que a minha não presta. O mais importante do que agora digo nem é o que se diz - é a liberdade de falar de Fé sem se ser achincalhado.

Mas isso não é o mais importante. Importante é o que nos dá sentido à vida. E o que dá sentido à vida de cada um temos de respeitar, pois estaremos a honrar também o ser humano que existe em nós.

Falar de Fé como se fosse uma "coisa" revolta-me e entristece-me. Não costumo ir à Igreja, e acho até que não sei rezar. Mas peço todos os dias a Deus que me ajude e aos meus familiares e amigos.

E esse Deus que alguns escamoteiam e renegam, a mim ajudou-me. Ajudou-me a preparar para o pior que pudesse acontecer. Por acaso, simplesmente por acaso não aconteceu o pior.

Não preciso de ver Deus para saber se Deus existe. Na verdade não sei. O que é a verdade? Alguém sabe....?

2 comentários:

Tania disse...

Eu nao.. mas sei que nao te irritavas sem razao e defendo o teu direito de o dizeres :) Não acredito, mas acho incrivel e bela qualquer forma de fé e força. :**

cat-me disse...

Tu acreditas em algo q eu sei :)**